imgblog16

Renato Moterani, aquarista há quase 30 anos.
Grupo Sarlo – 15 de Agosto de 2016

Aquarista há quase 30 anos, todos eles dedicados à manutenção e reprodução de peixes de grande porte em aquário. Aos 9 anos comprei meu primeiro peixe oscar, devido a total falta de informação, coloquei esse peixe no aquário de meu irmão, junto com seus neons e espadas.

Uma semana depois só restava ele, começava ali minha paixão pelos predadores. Nesses anos todos cometi muito erros, perdi muitos peixes por não encontrar informações adequadas e hoje me dedico a ajudar os demais aquaristas, publicando informação responsável, para que não cometam os erros que cometi no passado.

Hoje tenho vários aquários montados pela casa, o principal tem 2.200 litros, num sistema integrado que soma 3.200 entre engorda e sump. Tenho um aquário plantado no quarto, com 1.000 litros onde mantenho 3 peixes elétricos, além de outros 3 aquários de menor tamanho e um marinho de 680 litros em processo de montagem.

PeixesArtigo

Aquarismo Jumbo

Uma modalidade de aquarismo onde são criados peixes de grande porte, predadores ou não.

Um peixe jumbo é aquele que atinge mais de 20 cm quando adulto.

Devido a esse tamanho, exigem aquários igualmente grandes, com sistemas de filtragem superdimensionados.

Esse tipo de aquarismo tem crescido muito nos últimos anos, por conta do maior acesso a peixes, produtos e técnicas para sua correta manutenção.

Esse crescimento se deve a importação de produtos de última geração e também a indústria nacional que desenvolveu produtos de grande qualidade e com preços muito inferiores aos importados, possibilitando o acesso ao hobby para um número maior de aquaristas.

Hoje podemos manter peixes de maior porte em perfeitas condições em nossos aquários, como arraias, tucunarés, aruanãs, polypterus, lepisosteus entre muitos outros.

Ficou interessado em entrar para o mundo dos peixes de grande porte?
Pois então se prepare para montar um tanque igualmente grande.

É possível manter peixes de médio porte em aquários a partir de 200 litros, mas se quiser realmente ter um aquário adequado à maioria desses peixes, adquira um aquário com 200 x 70 x 70 centímetros.

Acredite em mim, um aquário desse tamanho durante os primeiros meses irá parecer imenso para você, mas logo depois ele parece que começa a encolher e em algum tempo você já vai pensar “podia ter feito um maior…”.

Isso é comum a praticamente todos os aquaristas que conheço, inclusive eu.

Normalmente quem opta por um aquário menor, com 150 cm de frente, por exemplo, em pouco tempo já começa planos para um maior. Esse estilo de aquarismo é apaixonante, os peixes tem uma enorme interação com o dono, chegando a muitos casos a reconhecê-lo e ficam alvoroçados quando este se aproxima do aquário.

Após adquirir o aquário, é preciso pensar no coração de todo aquário, o sistema de filtragem, para esse tipo de peixes, que em sua maioria são carnívoros e produzem uma quantidade imensa de dejetos, o filtro mais indicado é o sump.

O sump é um sistema de filtragem que conjuga vários outros em um mesmo lugar, sua montagem é feita baseada no aquário que irá tocar, ou seja, é personalizada. Sua estrutura básica é um aquário menor com várias divisões para comportar as mídias filtrantes e sistemas anexos ou auxiliares.

Tem esse nome porque geralmente é instalado na parte de baixo do aquário, podendo ser escondido dentro do móvel.

Montado o filtro, é preciso esperar um tempo para que ele amadureça, nesse processo são formadas colônias de bactérias boas que irão realizar a filtragem biológica, fundamental para o equilíbrio do aquário.

Após isso já podemos colocar os primeiros peixes, é importante fazer uma boa escolha de fauna, pesquisando muito bem o comportamento do peixe escolhido para evitar problemas de incompatibilidade.

Para um aquário desse tamanho, uma fauna muito interessante é 1 aruanã, 3 tucunarés, 3 datnioides, 3 polypterus. Neste exemplo que citei, é importante que os primeiros peixes comprados sejam os datnioides, eles têm um crescimento muito mais lento que os demais e precisa ser o maior peixe a entrar na montagem, caso contrário, outros que crescem mais rápido, como a aruanã, podem atingir um tamanho muito maior e chegar a devorar o dat.

Alimentação é um ponto também importante. Todos os peixes que citei são carnívoros na natureza, se alimentando de peixes vivos. Em cativeiro todos eles aceitaram esse tipo de alimento, mas podem ser alimentados com outros tipos de comida, alguns aceitam bem ração industrializada, outros comem filé de peixe cortado em pequenos pedaços.

Variar a alimentação e sempre usar um complexo vitamínico para completar alguma deficiência é importante para garantir uma vida longa e saudável a nossos peixes.

E essa vida será longa se fizermos a coisa certa, já tive peixes que viveram perto de 20 anos, atualmente tenho vários que estão comigo desde que montei meu aquário maior, há coisa de quase 5 anos.

Como última dica, digo para os interessados que ser um jumbistas é muito gratificante, mas que é preciso pesquisar muito, infelizmente temos muitas pessoas que não possuem conhecimento mais profundo, mas, geralmente movidos por orgulho e soberba, se dizem “entendidos” e propagam informações erradas que muitas vezes trazem sérios problemas para
quem segue suas ideias, procure informações em fontes confiáveis, verifique sempre a informações que lhe foi passada com algum outro aquaristas experiente e veja se tem coerência aquilo que lhe foi dito.

Se precisar de informações de qualidade sobre o tema, existe um grupo no Facebook, chamado Peixe Grande Aquarismo , onde ajudamos todos os aquaristas, não importa sua tribo, mas com um foco um pouco maior nos jumbos.