Eis que chega o dia em que você decide: “vou comprar um aquário”. Especialmente se você não tem experiência no ramo, o que você faz?

a) Sai do trabalho/escola e chega na primeira loja e pede um aquário completo ao lojista?
b) Começa a esboçar projetos, listas de produtos, equipamentos e peixes para iniciar a aquisição em 2020?
c) Procura alguma informação confiável para organizar o raciocínio, só para não se deixar levar pelo impulso, e começa a empreender o desejo?

Eu começaria pela letra “c”, que acaba sendo um meio termo entre os extremos das outras letras, pois sei que há muita empolgação após o momento da decisão e o que nos resta é tentar fazer da melhor maneira para evitar frustrar expectativas. Nesta minha vida aquarística conheci dezenas de pessoas que se decepcionaram com o hobby por terem investido tempo, esperança e dinheiro sem obter os prazeres com os quais sonharam – na maioria das vezes por pura falta de orientação adequada.

Esta é a ideia do texto, trazer pontos para calçar as decisões para concretizar o ideal do aquário pretendido.

O início da história

Ok, considerando que você já reservou um espaço na sua casa, compatível com o que o aquário necessita… “Peraí, como assim Johnny?”…Estou falando daquele espacinho caprichado na sua sala ou quarto, onde não há fluxo intenso de pessoas, não pegue luz do sol direta, com tomadas suficientes para ligar os equipamentos do aquário, além de um móvel feito para tal, evitando assim, erros de cálculos que comprometam o funcionamento ou mesmo a integridade física do projeto.

Agora sim, visto isso, a pergunta que prepondera é “Qual a ideia?”. Um aquário apenas, comunitário e sem grandes segredos? Um aquário com plantas naturais crescendo lindamente para virar um quadro vivo para a minha sala de estar? Um aquário de Ciclídeos Africanos para dividir a atenção dos meus Brothers entre a TV e o football americano dos domingos?

Para qualquer uma das respostas que houver, há um mínimo de atenção que fará bem aos que irão iniciar um projeto.

 

O que deve ser comprado de imediato e o que pode ser postergado para a fase seguinte?

Obviamente você não precisa sair de uma loja de aquários com 1 de cada produto que o lojista tem lá. Carregando sua ideia na mente e tendo planejado um pouco já ajuda a ter um bom começo. Considerando três tipos bem distintos de aquário, discriminados a seguir, dá para tomarmos nota de alguns itens prioritários nesta primeira etapa, antes de sairmos para as compras. Supondo que você já selecionou o aquário, o que pedir ao lojista para separar?

Aquário plantado: substrato fértil; plantas com diversas cores, tamanhos e velocidades de crescimento; troncos e rochas; kit de CO2 (gás carbônico, para você que ficou em recuperação em química).

Aquário comunitário: substrato neutro, normalmente cascalho de rio (dê preferência àqueles vendidos com pedrinhas em tamanho uniforme, fica mais fácil limpar nas manutenções); rochas neutras; decoração (qualquer desde que seja com produtos atóxicos e descontaminados previamente).

Aquário de CAs: substrato alcalinizante; rochas calcárias; sais para ciclídeos africanos ;

Acredito que para todas as escolhas acima, cada qual com seu correto dimensionamento: filtro, aquecedor + termostato, iluminação, eliminador de cloro . Além disso, também são importantes: redinha; um copão ou jarra, de pelo menos 500 ml; balde, onde não foram usados produtos de limpeza, assim como uma bucha (não para o vidro do aquário!) e escova de dentes, também nunca usados. São para a limpeza de bombas submersas, tubos, aquecedores ou itens mergulhados na água que precisem se livrar de excessos de algas ou lodo formado sobre eles.

 

O que e quanto adquirir de cada produto?

Para responder a esta pergunta, precisaríamos saber o tamanho do aquário que você comprou, quanto maior ele for mais itens exigirá ou mais potentes eles precisarão ser. É importante também adicionar em sua previsão – não deixa de estar vinculado ao tamanho do aquário – o que será necessário usar nas trocas parciais, quinzenais ou mensais, conforme for desenhada a dinâmica de manutenção.

Vou pegar um aquário que considero ideal para atender a inúmeros requisitos de uma só vez: 200 litros (1m comprimento x 40cm largura x 50cm altura). Para os cálculos de produtos que visam a água, consideraremos o volume real algo como entre 160-170 litros, considerando que ele não fica cheio até a borda e está preenchido com uns 8 a 10cm de substrato, plantas etc.

São essenciais, e suficientes, para tal aquário: 1 filtro capaz de rodar 4 a 5 vezes o volume (160 litros) por hora (escolha um que comporte tanto filtragem mecânica como biológica); 1 aquecedor (de preferência com termostato acoplado) de pelo menos 150 W ou 2 de 100 W (o cálculo recomendado é 1 watt por litro); luminária (se o aqua for plantado este item é de suma importância e precisa ser aprofundado); um produto que neutralize cloro livre e cloramina; substrato para cobrir o fundo do aquário numa altura média de 8 a 10 cm (o uso e altura dependerão do aquário escolhido; por exemplo, plantas precisam de espaço para enraizar e retirar nutrientes o que requererá uma camada maior de substrato); troncos e rochas (não essenciais em termos práticos, mas sim em estéticos).

Ficou confuso para saber “quanto” de certos produtos comprar, como substrato ou desclorificante? Graças aos deuses dos aquários, muitas marcas já vêm com indicações em seus produtos. Se você mesmo correr os olhos nos produtos aqui do site verá que eles possuem explicações sobre dosagem. Separei uns que são mais comumente usados, seja pelos tipos de aquários montados, seja pela frequência ou praticidade de uso.

Veja o exemplo do Safe™ 250g (que é em pó): usa-se 1,25 g (equivalente a ¼ de uma colher de chá) para cada 1.250 litros quando o assunto é reduzir o cloro e cloramina ou a mesma quantidade de produto, para cada 300 litros, se for amônia. Eu sei que parece meio complicado em falar em números quebrados assim, para medir, mas saiba que a marca também possui medidores de precisão, no caso, uma colher, chamada Scale Digital. Entretanto, o ponto aqui é ver o que você precisaria comprar, tendo um aqua de 200 litros brutos (170 litros reais). Para seu aquário um único pote renderia horrores, dando para montar e fazer diversas trocas parciais – é quando o custo-benefício começa a aparecer. De qualquer forma, só citei um exemplo, que fica fácil e conferir – porque está a um clique de distância, dentre dezenas de outras opções no mercado; existem produtos líquidos com este mesmo efeito. A dica de sempre é: não compre qualquer coisa de qualquer marca, porque isso pode ter impactos ruins e desastrosos caso você opte apenas por preço para fazer escolhas.

“E como calculo substrato (cascalho, areia etc.) para o meu aquário?” Parece boba, mas a pergunta além de muito comum é pra lá de pertinente. De cara, já surge uma questão que envolve o tipo de material usado, pois eles vêm desde areia até pedras medianas e sempre são vendidos a quilo – e é fácil visualizar que 1 kg de areia de filtro de piscina (substrato neutro e de grãos uniformes) ocupa um espaço diferenciado no fundo do aquário, se comparado a cascalho de rio. Vou pegar dois outros exemplos aqui do site: Fluorite® Sand (usado para plantados) e Onyx™ (usado para aquários de CAs). No caso do primeiro, para determinar o número de sacos necessários para o seu aquário, saiba que cada um ocupa um volume de aproximadamente 4.250 cm3 (vêm com 7kg cada). O nosso aquário-exemplo teria, considerando que queremos uns 8cm de altura de substrato, 32.000 cm (8 cm de substrato x 100 cm de comprimento x 40 cm de largura), o que resultaria nuns 7 sacos para nos dar essa altura (lembrando que alguns aquaristas preferem a cor da areia, colocando substrato fértil no núcleo e cobrindo-o com areia; neste caso seriam menos sacos de substrato fértil). Já o substrato de aquário de CAs, considerando a mesma altura, já seriam apenas 4 sacos e meio, uma vez que encontramos nas especificações que cada saco de 7 kg ocupa um volume de aproximadamente 7.000 cm3.

Até aqui falamos apenas daquilo que concerne antes da chegada dos peixes.

 

Quantas fases teriam até a chegada dos peixes?

A grosso modo eu dividiria em 4 fases:

Pré-montagem: já passamos por ela. É justamente a arquitetação de nossos planos, a contabilização do que será necessário e pra quando será cada coisa.

Montagem: neste item estão considerados o posicionamento de rochas ou troncos, colocação do substrato (fértil, neutro ou que atua na alcalinização da água), colocar a água, ligar os aparelhos para iniciar o funcionamento do sistema.

Ciclagem: fase mega-ultra-blaster-importante. Considerada quando o aquário está funcionando a pleno vapor, logo a após a montagem: filtros ligados, iluminação ligada conforme exigências (iluminação diária de 8h? 10h? precisa ver quais plantas e peixes você escolheu, para ver o que eles precisam), CO2 introduzido na água, aquecedor, enfim, tudo. Por vezes, partículas oriundas do substrato podem deixar a água turva por algum período, o período de ciclagem também é útil para dar tempo às partículas assentarem ou serem removidas por filtragem até a diminuição da turbidez. Acima de tudo isso, nossa atenção deve estar voltada para as comunidades de bactérias do bem, que começam a se fixar e transformar os compostos nitrogenados em formas não tóxicas. É bem provável que o uso de testes seja requerido com frequência nesta etapa – no mínimo 1 teste de pH e 1 de amônia (lembrando que se for aqua de CAs são importantes os testes de KH e GH) seriam essenciais.

Povoamento: é quando a filtragem biológica está madura e funcionando, deixando a água isenta de toxinas nitrogenadas, como amônia, amônio, nitrito e nitrato. Hora de providenciar os peixes…não esqueça de escolher a melhor ração possível!

 

E quais produtos viriam depois dos peixes?

Bem, pode parecer excesso de cuidado, mas é interessante possuir itens que lhe permitam não somente realizar procedimentos de manutenção ou correção, e sim remediar certas situações de caos e problemas.

Peixes adoecem por diversas razões, especialmente os recém-adquiridos que podem trazer consigo parasitas que afetem tanto ele quanto os demais colegas.

Quando consideramos a maioria das pessoas que possuem aquário, sabemos que não é feita uma quarentena nos peixes e demais organismos (incluindo plantas), por isso produtos para remediação são importantes (se você quiser fazer certo tenha um pequeno, e completo, aquário de quarentena/hospital – um recinto desprovido de substrato e decorações, especialmente criado para “limpar” os peixes). Considerando que você não tenha um aquinha assim, nem uma loja do lado de sua residência, então, é interessante possuir produtos como anti-íctio, anti-fungos e algum bactericida – nunca de marcas desconhecidas.

Mas não são apenas remediações que requerem produtos e utensílios, cuidados periódicos com o aquário também. Recomendaria, no caso de aquário plantado, tesouras longas para poda das plantas (vendidas em lojas especializadas), e, em termos gerais, limpadores magnéticos para limpeza dos vidros e sifão para limpeza do fundo do aquário – para todos os tipos de aquário.

A verdade é que quanto mais você buscar por opções e facilidades para levar um aquário à frente, mais coisas você encontrará, pois o mercado do aquarismo se supera com o passar dos anos, trazendo sempre mais novidades que acabam por facilitar a vida dos hobbystas. Dessa forma, o céu é o limite!
Deixem-me ir, preciso andar…acredito que me delonguei por demais e que é hora de deixá-los voltar às atividades cotidianas. Agradeço a leitura! Vejo vocês no próximo artigo…até lá!