Com certeza o título é para criar o clima de suspense, pois eu preferiria chamar de “As Manhas para a Manutenção do Aquário”. Sim “manhas”, não manhãs. Eu já passei por inúmeros “perrenhes” e dúvidas fustigantes em certos momentos do dia a dia aquarístico. Sei que certos microdetalhes, do tamanho de um grão de areia, podem fazer toda a diferença no resultado e por isso decidi escrever algo sobre essas minúcias.
  
Bem, pra cada uma das dicas que você já souber, ganha 10 pontos…
  

Uso do sifão.

  
A primeira dica, para se obter o melhor desempenho deste aparelho é ter comprado um substrato, seja ele cascalho, seja ele areia, de tamanho uniforme e que durante a montagem você o tenha distribuído de forma a haver uma inclinação (menor na frente, mais alto atrás). Isso permite que ao longo da semana, ou quinzena, a sujeira se concentre na frente – justamente onde você pode ver e acessar com maior facilidade. (10 pontos)
  
Mesmo que seu substrato seja areia de filtro de piscina é possível fazer com que o sifão não sugue tudo para dentro. Use seu polegar, posicionando-o na saída da mangueia, de forma a controlar o fluxo. Pode ser que demore um pouquinho mais, todavia, deixando um fluxo baixo de saída essa areia não será sugada, apenas a sujeira “entrará pelo cano”. (10 pontos)
  

Mídia biológica do filtro

  
Tal qual um transplante de órgão, no qual você é o médico, todavia, sem a tensão envolvida. A comparação é apenas para chamar atenção quanto à importância.
  
Ao fazer a manutenção dos filtros, se você retira tudo (anéis de cerâmica, espuma, perlon, carvão etc.) e deixa fora d’água, um dos pontos de equilíbrio do aquário está seriamente em risco. Sabe qual? As colônias de bactérias existentes na mídia biológica (que pode ser bioballs, anéis de cerâmica etc.).
  
Elas cresceram num sistema de circulação contínua de água e ausência de iluminação e, agora, estão expostas à secura e luz. Pegar água da torneira e deixá-las lá descansando, tampouco ajuda, uma vez que a água da torneira contém cloro e este é um bactericida. O que fazer então? Antes de remover a água do fundo com o sifão, separe um pouco de água e use-a para manter as colônias numa água amistosa; esta água também servirá para enxaguar a mídia, a fim de remover os excessos de sujeira que porventura estejam lá. (10 pontos)
  

Limpeza do vidro

  
Acredito que uma das piores coisas para o aquarista é conviver com arranhões, especialmente nos vidros frontais do aqua. É o vidro que permite a você visualizar o que há dentro do ambiente que você criou. Se você prefere uma imagem HD do que uma de baixa resolução, então, é melhor se antenar para não comprometer este limiar entre os mundos.
  
A recomendação recai sobre os limpadores magnéticos de boas marcas, pois já têm até o balanço correto do imã, permitindo o uso em diferentes espessuras de vidro e feitos de material próprio, que não arranha. O uso recorrente do utensílio permite resultados muito bons, não requer o “mãozão no aquário” e é ultra fácil de limpar (com uma escova de dentes – usada só pro aquário – você resolve isso). (10 pontos)
  
Rapadores (magnéticos ou não) com lâminas também são recursos interessantes para certos tipos incrustações no vidro. A lâmina por si não arranha o vidro, pois é mais mole que ele. A limitação deste item, especialmente quando falamos de crianças e proximidade com elas, é o perigo de lesões pelo contato com as lâminas (muitos modelos usam lâminas de barbear). Não aconselho o manuseio deste tipo de equipamento por crianças. Para elas: limpador magnético comum – menos sujeira, eficiência garantida e por aí vai. (10 pontos)
  
Usar um desses limpadores magnéticos com boa frequência pode eliminar a necessidade de outros itens. A dica aqui é ficar atento para que não fique nenhum grão de areia entre o limpador e o vidro…a areia (se for areia de filtro de piscina lembro que é quartzo puro) pode ter dureza tal qual a do vidro e riscá-lo pra valer. (10 pontos)
  
Se o assunto se direcionar para o acrílico, aí é muito mais importante o aquarista se atentar para produtos específicos para isso, visto que o acrílico é muito mais fácil de arranhar que o vidro. (10 pontos)
  

Bucha verde-amarelo

  
Aproveitando a deixa sobre arranhões. Pode ser que você não tenha tido grana para comprar de imediato um limpador magnético, próprio para aquário, pois pode ter usado o dinheiro para comprar artigos de uso mais urgente…aí decidiu pegar uma das buchas de casa. Ok. Primeiro certifique-se que nunca foi usada para limpeza da casa e não tenha tido contato com produtos químicos. Para utilizá-la no aquário, lembre-se: apenas o lado amarelo, usar o lado verde pode vir a arranhar o vidro. (10 pontos)
  
Certamente você perceberá que algumas coisas não são possíveis de serem removidas com essa parte da bucha. Neste caso, para retirada de algas incrustradas no vidro, tipo green spot, prefira espátulas plásticas rígidas (há quem utilize o cartão de crédito…é para isso que servem os cartões adicionais que fazemos! Ou você achou que era para dar a alguns dos entes familiares? Corre lá que dá tempo.). (10 pontos)
  

Podas em plantas

  
A poda de plantas não é apenas tolice, nem pode ser feito de qualquer jeito. Podar adequadamente uma planta confere a ela saúde, além de melhorar a estética do aquário – pense que plantas crescendo desenfreadamente promovem sombra no aquário, prejudicando outras e deixando-o com aspecto de descuido. Para este tópico trago alguns macetes, os quais vemos a seguir.
  
Primeira dica: Desligue os filtros e bombas que promovam a movimentação da água, evitando espalhar os restos de poda. (10 pontos)
  
Segunda dica: Descubra o tipo de planta: “caule” (Hygrophila, Ludwigia etc.), “rizoma” (Mirosorum, Anubias etc.) ou “roseta” (Echinodorus, Cryptocoryne etc.). (10 pontos)
  
Terceira dica: Obviamente estamos assumindo que o seu aquário provê às plantas a nutrição e a iluminação adequadas – no mínimo. Somente respondem, a contento, à poda, plantas que estiverem saudáveis. (10 pontos)
  
Quarta dica: Não ache que o que escrevi é um texto do tipo “tudo sobre”, é apenas uma singela pincelada no tema, ok?
  
Bem, acredito que seja nas plantas de caule que temos mais o que tratar. Se você achar que sua planta está parecendo muito “magrela” (uma notoriedade exagerada na visualização do caule), com uma tesoura de ponta você poda a haste mais embaixo. Este tipo de corte provocará novos brotamentos no local onde foi feito desbaste e dará à planta um aspecto mais arbustivo (igual a mais folhagem e menos caule). Já o corte de ramos laterais, estimulará crescimento na vertical. Agora, tanto para plantas de roseta, como para as de rizoma, a remoção deve ser dar sobre folhas ruins, cortando-as rente a sua base; o uso dos dedos para subtrair folhas amareladas e mortas também é prático e usual. (10 pontos)
  
Pra quem acha que redinha serve só para retirar peixe, temos aqui uma função indispensável para ela: retirar os restos de poda que flutuam pelo aquário! (10 pontos)
  
Adaptei esta informação do livro de um dos mestres do Aquapaisagismo nacional, meu amigo, Rony Suzuki…obviamente nada substitui a leitura cuidadosa de seu livro “Aquapaisagismo: Introdução ao aquário plantado”.
  

Rotor da bomba submersa

  
Resolvi colocar isso aqui porque lembrei que muitas vezes o cliente chega na loja reclamando da bombinha da Sarlo, que não presta, que achava que durava mais etc. Aí o lojista abre ela, retirando aquele tamborzinho imantado de dentro, repleto de gosma ao redor, passa um paninho, volta a peça para a bomba e testa: funcionando!
  
Esta é uma limpeza fácil de realizar e que fará a bomba funcionar por anos e anos. Com a bomba desligada da tomada, você gira aquela peça que possui o cano de saída do fluxo e já se depara com o rotor. Você pode limpar com bucha, escova de dentro, dedos ou pano, tanto faz. (10 pontos)
  
Alerta se faz para os tipos de motor que possuam um eixo de cerâmica, tal como encontra-se em certos tipos de canister. Sequer desmonte o objeto se você não tem certeza. Pergunte antes ao lojista como se faz a manutenção do modelo que você comprou e só o faça se sentir seguro para tal. Quebrar uma pecinha dessas é chato e pode ser de difícil reposição. (10 pontos)
  

Troca parcial de água

  
Famosa TPA. Para os leigos não há mistério: tira água suja, põe água nova. Para nós que procuramos fazer tudo certinho e saímos atrás de informação, aí vão algumas dicas preciosas.
  
1) Desclorificação. Esta é a primeira preocupação com a água que vai entrar no aquário já em funcionamento. O cloro, existente na água de torneira, é abrasivo e pode atacar tanto a mucosa (que protege o corpo do peixe) como machucar guelras. (10 pontos)
  
2) A água que entra no aquário (água nova), deve possuir a temperatura igual ou próxima a água do aquário. Para você conseguir isso é interessante possuir um aquecedor sobressalente, deixado num balde onde a água aguarda seu momento de entrar. Dica: Não esquentar água no fogão para ganhar tempo! Este tempo que você “ganha” significa perda de oxigênio na água; não use água sem oxigênio para TPA. Faça com tempo e com o uso de aparelhos de aquário mesmo…serão menos surpresas, certamente. (10 pontos)
  
3) Se falamos de um aquário com água especial: água com adição de sais para ciclídeos, água deionizada, água marrom (black water) para apistos ou discos, entre outros, o ideal é já tê-la preparado antes. Eu sempre evitei de, por exemplo, adicionar o sal direto no aquário; primeiro para não ter perigo de errar a medida, segundo para evitar choque de algum parâmetro num peixe que seja ou esteja mais sensível. (10 pontos)
  
4) Não despejar a água veloz e desajeitadamente. Não convém revolver o fundo com os vórtices da água entornada. Para isso, podemos dispor momentaneamente algum anteparo, como um prato, para proteger o fundo do jato de água. Uma rocha maior também pode servir a este propósito…e não tendo nada assim, use a mão (limpinha) para reduzir o fluxo da água. (10 pontos)
  

Peixe no balde

  
Você não tem onde deixar os peixes durante um desmonte de aquário ou uma intervenção drástica que necessita retirar os habitantes de sua casa, o que faz? Muitos os deixam em baldes, aguardando a hora de retornar ao aqua.
  
Novamente cito o oxigênio com um dos problemas mais imediatos a se preocupar. Especialmente quando falamos de peixes grandes, seu consumo de oxigênio da água é alto; em condições de estresse, como o balde, o consumo é ainda maior. Como nunca sabemos ao certo quando terminaremos o procedimento, deixe no balde uma bomba submersa com o respirador (aquela mangueirinha que faz a bomba soltar bolhas), lembrando de proteger a parte que suga a água, caso a bomba não possua grade, ou mesmo um aerador com pedra porosa. (10 pontos)
  
E aí quantos pontos você somou? Menos de 60? Pode ser que você ainda seja novato no aquarismo e tenha muito a aprender…por isso, fique conosco, lendo bastante! Você fez 200 pontos ou mais? Perto disso? Bem, então, por favor, comece a repassar adiante o que você sabe, ajudando os aquaristas menos experientes, pois este é um princípio do hobby e é assim que crescemos!
  
Obrigado pela leitura, aguardo vocês no próximo artigo, até lá!